Registe-se já ou introduza
o seu email e palavra-passe:

Centrada em si
TENA
Home Pavimento pélvico Pavimento pélvico e saúde Porque é que o pavimento pélvico é tão importante para a mulher?
banner_MUESTRA

Porque é que o pavimento pélvico é tão importante para a mulher?

Pavimento pélvico e saúde

mulheres
0 12138

A qualidade de vida das mulheres depende e muito do estado desta musculatura. Ainda que seja de importância vital para nós, a verdade é que nem todas sabemos onde está ou nunca ouvimos falar dela.


Partilhe com as suas amigas:

Algumas mulheres ouvem falar pela primeira vez em pavimento pélvico nas suas aulas de pré-parto, outras descobrem-no quando o seu médico lhes diz que têm um problema como ‘incontinência urinária’. A verdade é que muitas de nós não sabemos o que é ou o que podemos fazer para que as nossas vidas não se deteriorem por culpa desta musculatura: perdas de urina, dores de costas, disfunções sexuais, prolapsos

Mas o que é o pavimento pélvico? É um conjunto de músculos e ligamentos que encerram a cavidade abdominal como uma espécie de ‘ponte suspensa’. Esta ponte serve para:

  • Manter os órgãos pélvicos no seu devido lugar e que os mesmos funcionem corretamente: bexiga, útero, vagina e reto;
  • Estabilizar nossa coluna e pélvis.

Por isso, tonificá-lo e fortalecê-lo é muito importante para o nosso bem-estar físico e psíquico.

Porque é que é ainda mais relevante para a mulher?

Há dois grandes acontecimentos na vida da mulher que podem lesionar o pavimento pélvico: a gravidez e o parto vaginal, e a chegada da menopausa.

Na gravidez esta musculatura deve suportar o aumento de peso devido ao bebé e as alterações hormonais que tornam os músculos mais laxos, diminuindo a sua capacidade de suporte, pelo que uma elevada percentagem de mulheres portuguesas sofrerá de perdas de urina neste período.

Quando chega o grande momento do parto, esta musculatura distende-se tanto que sem os mecanismos de defesa do próprio parto, os danos seriam irreversíveis, ainda que o impacto varie de caso para caso. Se o parto se complica e é necessária a intervenção de instrumentos ou uma epistomia, a lesão será maior.

A gravidez, o parto e a menopausa são momentos chave nos quais o pavimento pélvico pode ficar mais fragilizado

Mais tarde, a mulher chega à menopausa e as alterações físicas que ocorrem no seu corpo também afetam esta musculatura, sobretudo se esta já estava debilitada ou lesionada. É por isto que nesta etapa é muito fácil que surjam problemas: incontinência, descaimento de algum órgão. A estes momentos chave podem somar-se outras causas que debilitam o pavimento pélvico: a obesidade, a obstipação ou a prática de alguns desportos.

Como evitar o enfraquecimento do pavimento pélvico?

A prevenção é a melhor fórmula. O exercícios específicos, como o famoso exercício Kegel, são fundamentais para fortalecê-lo. Quanto mais cedo tomemos consciência da sua importância e comecemos a trabalhar esta musculatura, melhor conseguiremos minimizar os inconvenientes da gravidez, do parto e, sobretudo, da menopausa.

Se queremos ganhar qualidade de vida devemos conhecer melhor o nosso corpo e sobretudo, o nosso pavimento pélvico, e fortalecê-lo em qualquer idade. Se não há problemas prévios, cinco minutos por dia são suficientes para manter o seu pavimento pélvico tonificado.

De qualquer forma, se já existiam problemas de pavimento pélvico, e estes problemas provocam incontinência urinária, é necessário consultar um especialista. Enquanto o problema não se soluciona, é importante confiar num produto adequado: os pensos criados especificamente para o pH e densidade da urina da gama TENA Lady fazem com que se sinta segura e protegida. Peça aqui amostras grátis.

Pode também interessar-lhe...

Partilhe com as suas amigas:

Deixe-nos um comentário