Registe-se já ou introduza
o seu email e palavra-passe:

Centrada em si
TENA
Home Pavimento pélvico Pavimento pélvico e maternidade Porque é que tenho incontinência urinária na gravidez?
banner_MUESTRA

Porque é que tenho incontinência urinária na gravidez?

Pavimento pélvico e maternidade

incontinência urinária na gravidez
0 16398

Está grávida ou acaba de ser mãe e tem perdas de urina? Tente saber a que se devem e como pode recuperar a sua musculatura pélvica.


Partilhe com as suas amigas:

Durante a gravidez o feto, ao crescer no interior da pelve, provoca um aumento da pressão intra abdominal que enfraquece o pavimento pélvico e altera a posição normal dos órgãos pélvicos suportados por essa musculatura. Se a isto somarmos outros fatores prejudiciais, como o excesso de peso da mãe, a grávida pode ter sintomas decorrentes da descida dos órgãos que se apoiam no pavimento pélvico. Um desses sintomas pode ser a incontinência urinária. Ao descer, a bexiga perde capacidade para armazenar a urina sem perdas.

De acordo com estudos elaborados no nosso país vizinho, 16% das primigestas espanholas (primeira gravidez) desenvolvem incontinência urinária pós-parto que, em 5 ou 6% dos casos, pode tornar-se grave e afetar seriamente a sua qualidade de vida. Mas não é caso para alarme porque existe um processo de reparação natural dos tecidos debilitados que atua nos primeiros três meses após o parto e melhora significativamente as perdas, ao ponto de em muitos casos desaparecem completamente.

Por outro lado, quando a incontinência começa durante a gravidez, o mais provável é que as perdas de urina se mantenham no pós-parto e não será muito fácil a situação melhorar. É por isso que a prevenção primária é tão importante:

Fortalecer o pavimento pélvico durante a gravidez é uma forma de evitar problemas posteriores de incontinência urinária

  • Evitar um aumento de peso excessivo durante a gravidez
  • Cuidar da alimentação para evitar a obstipação
  • Fazer exercícios de fortalecimento da musculatura do pavimento pélvico com fisioterapeutas especializados e seguindo um programa personalizado e intensivo.

Por outro lado, é importante distinguir a polaquiúria (aumento do número de micções ao longo do dia, característica de todas as mulheres grávidas, que é causada pela diminuição da capacidade da bexiga por estar comprimida pelo útero grávido) dos restantes sintomas que podem dever-se a:

  • Incontinência urinária de esforço, por descida da bexiga e da uretra
  • Incontinência de urgência, que não permite chegar à casa de banho a tempo e dá origem a perdas de urina
  • Disúria ou ardor ao urinar, que obriga a descartar uma infeção urinária

Em todo o caso, perante qualquer um destes sintomas, deve consultar o seu ginecologista. Entretanto, recomendamos o uso de pensos específicos para o pH e a densidade da urina, como os da gama TENA, que vão fazê-la sentir-se segura e protegida, além de que lhe disponibilizam um produto adaptado ao seu fluxo e atividade. Gostaria de obter mais informações? Solicite a sua amostra grátis.

Pode também interessar-lhe...

Partilhe com as suas amigas:

Deixe-nos um comentário