TENA

Centrada em si > Menopausa > Afrontamentos? Há outras opções além do leque
Home Menopausa Afrontamentos? Há outras opções além do leque

Afrontamentos? Há outras opções além do leque

Menopausa


0 15364

Um dos sintomas mais desagradáveis da menopausa são os malditos afrontamentos. Está farta deles e do maldito leque que a deixa de mão cansada? Pois tome nota que há soluções melhores.




Não está de modo nenhum obrigada a suportar estoicamente os efeitos da menopausa e muito menos os afrontamentos. Que os aguentem os outros. A atitude é fazer-lhes frente e, claro, procurar soluções.

Procure aquelas que melhor se adaptam às suas necessidades e melhoram a sua qualidade de vida, porque merece sempre o melhor.

1. Terapia de substituição hormonal

Tradicionalmente, o tratamento mais eficaz para os afrontamentos foi a suplementação com estrogénios e, particularmente, a terapia de substituição hormonal. Não deve ter medo porque é uma solução com provas dadas nos casos em que os afrontamentos e os sintomas da menopausa transformaram a vida num inferno. Consulte o seu médico, que lhe dará o melhor dos conselhos.

2. Isoflavonas de soja

Pode parecer-lhe uma solução hippy, mas não podia estar mais longe da verdade. A soja possui grandes quantidades de fitoestrogénios, substâncias químicas que atuam no corpo como estrogénios. E como a soja é particularmente rica em isoflavonas, estas juntam-se aos receptores de estrogénios e podem ajudar-nos a reduzir os afrontamentos. Não perde nada em experimentar.

3. Cohosh preto

Outro remédio mágico é o cohosh preto, uma das ervas mais populares para tratar os afrontamentos e outros sintomas da menopausa. Vai encontrá-lo em qualquer ervanária. Se o tomar, vai unir-se aos receptores de estrogénio e estimular os receptores de serotonina. Mas tal como acontece com outros suplementos, consulte o seu médico antes de o tomar.

4. Dedique tempo a si mesmo

Agora o importante somos nós próprias. Os afrontamentos surgem em qualquer momento do dia, mas deve saber que são mais frequentes em momentos de stress. As técnicas de redução de stress podem diminuir a frequência dos afrontamentos. Já equacionou fazer yoga ou meditação? Ou simplesmente sair para passear e respirar um pouco de ar fresco?

5. Deixe de fumar e abandone outros hábitos nocivos

Talvez tenha chegado o momento e alguém tinha de lhe dizer: deixe de fumar. É uma das coisas que mais agrava o efeitos e a frequência dos afrontamentos. Abandonar este hábito pode ajudar-nos a reduzir a gravidade do sintoma e, sobretudo, diminui o risco de doenças cardíacas, derrames cerebrais e uma ampla variedade de cancros. Sabemos que é difícil, mas ame a vida (inclusive na menopausa)!

6. Vigie o peso

Sim, sabemos que é fácil dizer, mas é a mais pura das verdades. Os quilos a mais propiciam a frequência e a intensidade dos afrontamentos. Não se deixe levar e vigie o seu peso. Não se trata de restringir-se a um banquete de sementes sem sabor e a brócolos, mas sobretudo em não se deixar abandonar. Siga uma dieta mais ou menos racional sem ter de renunciar a certos prazeres que tanto nos fazem felizes.

7. Tenha sempre água à mão

Beber água fria ou borrifar a cara e os pulsos pode ajudar-nos a esfriar rapidamente o corpo durante os afrontamentos. Equacione tomar uma duche de água fria para baixar a temperatura corporal mais rapidamente. Também não se esqueça de se manter sempre hidratada.

8. Ter um ventilador à mão

Um ventilador é muito melhor que um leque porque não refresca apenas uma parte do corpo mas também todo o espaço. E isto é a forma mais eficaz de nos refrescar. Para manter o quarto fresco, pense na possibilidade de ter um pequeno ventilador ligado à noite noite num nível baixo e que não faça ruído. 

9. Antes de mais, muita calma

A intensidade dos afrontamentos pode provocar a sensação de pânico que apenas leva a intensificar os sintomas. Mantenha a calma, respire fundo, procure uma toalha húmida e aumente a temperatura corporal. Abaixo as ansiedades.

10. O médico, aquele amigo

Na procura de soluções, o médico é o seu melhor aliado. Entenderá o que está a acontecer, poderá avaliar a magnitude dos seus sintomas e dar-lhe sempre o melhor conselho. É o seu novo melhor amigo durante esta época (que, acredite, passará).

Pode também interessar-lhe...

Partilhe com as suas amigas:
Centrada em si