Registe-se já ou introduza
o seu email e palavra-passe:

Centrada em si
TENA
Home Menopausa Como combater os afrontamentos
banner_MUESTRA

Como combater os afrontamentos

Menopausa

combater os afrontamentos
0 59921

Está em plena menopausa e os afrontamentos alteram a sua qualidade de vida? Explicamos-lhe aqui os diferentes tratamentos que existem para os combater ou mitigar em função da sua situação pessoal. Não se esqueça de consultar o seu médico!


Partilhe com as suas amigas:

Os afrontamentos afetam  três em cada quatro mulheres pós-menopáusicas e normalmente são um dos sintomas mais incómodos da menopausa. Porque sucedem? Pensa-se que são causados por uma disfunção nos centros termorreguladores centrais devido a alterações dos níveis de estrogénios.

Os afrontamentos caraterizam-se pelo aparecimento de calor intenso no peito, que se propaga ao pescoço ou ao rosto e é acompanhado de ansiedade, palpitações, sudação profusa e vermelhidão cutânea.

Ao afetar diretamente a qualidade de vida, os afrontamentos são a razão mais comum que leva muitas mulheres a experimentar as  terapias hormonais de substituição. Os estrogénios diminuem os afrontamentos em 80% a 90% e são considerados o tratamento mais recomendado em casos de menopausa natural, ou insuficiência ovárica induzida por quimioterapia ou menopausa cirúrgica.

Qualquer tratamento que escolha deve ser vigiado pelo seu médico

No entanto, muitos especialistas consideram que as mulheres com antecedentes de cancro do ovário, mama ou útero, trombose venosa ou história familiar de cancro da mama deveriam evitar a THS. A estas somam-se as que sofreram um enfarte agudo do miocárdio recente ou têm doença coronária. Então, qual é alternativa nestas situações e nos casos das mulheres que simplesmente preferem não se tratar com hormonas?

Antes de mais, deve ter em conta que qualquer tratamento pelo qual opte deverá ser vigiado pelo seu médico, que irá avaliar a resposta ao tratamento e os seus potenciais efeitos secundários.

1. Alternativas não farmacológicas

Os tratamentos de alteração comportamental podem ser importantes no tratamento dos afrontamentos: Por exemplo, as técnicas de relaxamento e respiração para controlar o stress levam o organismo a libertar serotonina, substância que pode diminuir a intensidade dos afrontamentos em até 30-40% segundo ensaios clínicos.

Suplementos herbais ou alimentares

Popularmente, utilizam-se várias ervas e suplementos para diminuir os afrontamentos, mas cuidado! Algumas destas substâncias não foram bem estudadas em ensaios clínicos rigorosos, pelo que não está totalmente demonstrado que não provoquem efeitos secundários.

A soja tem sido tradicionalmente um suplemento alimentar interessante para diminuir os sintomas da menopausa e o cancro da mama durante algum tempo, mas ainda não existem dados precisos da sua ação no controlo dos afrontamentos. Não obstante, seria uma alternativa a considerar em casos ligeiros.

Outros fitoestrogénios naturais, como o dong quai, o trevo vermelho, o alcaçuz ou a cimicifuga, que são apresentados como remédios maravilhosos contra os afrontamentos, podem ter diferentes efeitos, não só em função da dose administrada, mas também do estado hormonal da mulher quando os toma.

Por outro lado, ainda não está demonstrado que sejam totalmente inócuos. Por conseguinte, aconselhamos cautela em relação a eles, sobretudo se a mulher tiver de evitar os suplementos de estrogénio.

2. Alternativas farmacológicas não hormonais: “os antidepressivos”

Está demonstrado que determinados antidepressivos elevam os níveis de serotonina e, portanto, diminuem os afrontamentos. Mas cuidado! Devem ser sempre administrados com receita médica e de acordo com as instruções de um médico.

Se o seu problema são os afrontamentos ou os suores noturnos e não tem demasiados incómodos durante o dia, consulte o seu médico sobre medicação que melhore simultaneamente o sono e os afrontamentos.

3. Alternativas hormonais

É importante seguir um tratamento individualizado. O seu médico deve começar pela anamnese completa, prestando atenção à frequência e intensidade dos sintomas e ao modo como afetam a sua vida diária. Se não existirem contraindicações, a terapêutica hormonal é uma alternativa eficaz.

Segundo os últimos estudos, a terapia hormonal em doses baixas é muito eficaz para tratar os afrontamentos e podemos considerar a administração deste tratamento segura durante quatro ou cinco anos.

Pode também interessar-lhe...

Partilhe com as suas amigas:

Deixe-nos um comentário