TENA

Centrada em si > Menopausa > Chega a menopausa e… adeus ao sexo?
Home Menopausa Chega a menopausa e… adeus ao sexo?

Chega a menopausa e… adeus ao sexo?

Menopausa


0 9908

Chegou a menopausa e sente de tudo (afrontamentos, dificuldade em dormir, mau humor...) menos alegria na cama. Nem vontade. Significa isto o adeus ao sexo? Jamais!




Como se a menopausa não fosse já suficientemente incómoda, acontece ainda que lhe tirou a alegria do sexo. Sempre teve vontade e nunca lhe faltou desejo… Até agora. Mas com a chegada desta maldita etapa de vida, deixou de ter vontade e pergunta-se que terá acontecido. Como era e como se vê agora! A resposta é simples: algo mudou dentro de siA libido diminuiu e agora custa mais excitar-se. Talvez até sinta dores ao ter relações sexuais ou resulta-lhe mesmo impossível alcançar o clímax. Por isso não é de estranhar que muitas mulheres na menopausa se sintam insatisfeitas com o sexo e evitem mesmo a intimidade. Mas isto é um erro!

Quem o explica de forma clara é a Dra. Majorie Green, instrutora clínica de ginecologia da Escola de Medicina de Harvard: “a natureza não tinha a intenção de que fossemos sexualmente ativas depois da menopausa, por isso temos de trabalhar este assunto e ser criativas”. Pois, mãos à obra!

Para voltar a ter sexo, aumente a sua libido

A falta de desejo é um problema sério e nada simples de resolver. Nas mulheres, tanto o estrogénio como a testosterona podem contribuir para a libido. Alguns estudos têm demonstrado que a terapia de substituição hormonal é eficaz não só no aumento do desejo sexual como também em facilitar o orgasmo. Consulte o seu médico, talvez a solução esteja mais perto de si do que imagina.

Afaste a tristeza, procure a alegria

 A depressão e a pouca autoestima são outros dos sintomas comuns na menopausa e que sem dúvida amortecem consideravelmente a vontade de sexo. Por outro lado, os tratamentos farmacológicos para combater a depressão costumam reduzir a nossa capacidade de resposta sexual. Mas não se renda ao pânico! Responda ao desafio e cultive outra atitude vital. Comece a manhã disposta a mudar as coisas e a recolher estímulos positivos. Isto vai ajudá-la a chegar à noite com mais autoestima e muita vontade de a demonstrar.

Acolha novas emoções na sua vida

A rotina não contribui muito para aumentar a libido e o desejo, de todo. Talvez tenha chegado o momento de acolher novas emoções e novidades na sua vida (sexual). Porque não se desinibe e faz aquelas coisas que nunca ousou fazer? Jogos sexuais, usar brinquedos eróticos, cumprir fantasias há muito escondidas na caixa dos seus desejos… Um estudo de 2016 trabalhou com mulheres que tinham dificuldade para se excitarem ou atingir o orgasmo e dois terços delas conseguiram um aumento da lubrificação vaginal e da facilidade para atingir o orgasmo depois de usarem um vibrador durante três meses. Ciência em estado puro. E lembre-se: a penetração não é a única forma de intimidade.

Faça frente à dor

Não está só: a dispareunia (dor durante o coito) afeta aproximadamente metade das mulheres depois da menopausa e é uma das razões mais comuns para evitarem as relações sexuais. Pode ser por atrofia vaginal, infeções vaginais e do trato urinário ou tratamentos para a dor de costas, problemas nas ancas, etc. Pois bem, há solução: a fisioterapia, na forma de exercícios e massagens para relaxar e alongar os tecidos da área pélvica, pode ser muito útil.

Procure soluções para a secura vaginal

É um dos segredos mais bem guardados na relação entre a menopausa e o sexo. Apesar de mais de metade das mulheres entre os 51 e 60 sofrerem de secura vaginal, apenas 7% recebe algum tratamento. Isto, porque as mulheres simplesmente não falam com os seus médicos e estes também não perguntam. De novo: o médico é o seu melhor amigo. Bem, depois do seu companheiro…

Envolva o seu companheiro

Sim, muitas vezes o seu companheiro parece mais um inimigo que um amigo. Não a entende nem parece querer entender. Mas já pensou que talvez também dependa de nós implicá-los nesta situação? É o momento de nos aproximarmos mais deles e trabalhar em conjunto para melhorar a relação sexual. A Dra. Marjorie Green afirma que “a comunicação com o companheiro é a base de uma relação saudável”. Seja muito clara com ele, não oculte nenhum problema de libido nem possíveis dores durante o coito. Renovem os votos como amantes.

Pode também interessar-lhe...

Partilhe com as suas amigas:
Centrada em si