Registe-se já ou introduza
o seu email e palavra-passe:

TENA Centrada em si
Home Pavimento pélvico Pavimento pélvico e maternidade Prepare-se para o parto com fisioterapia
TENA Silhouette

Prepare-se para o parto com fisioterapia

Pavimento pélvico e maternidade

0 1471

Se quer ter um parto rápido e reduzir, dentro do possível, as lesões, é muito importante estar em boa forma física nesse dia. Fortalecer e flexibilizar a musculatura pélvica sob a orientação de um fisioterapeuta especializado pode ser a chave. Descubra porquê.


Partilhe com as suas amigas:

O parto é um processo fisiológico e dinâmico que implica uma grande exigência física. Apesar de haver muitos fatores que influem no nascimento do bebé, a forma como a mãe se encontra fisicamente no dia do parto é muito importante. Isto porque, quer lhe seja administrada a epidural quer não, a sua colaboração ativa para ajudar o bebé a nascer será imprescindível.

Estudos realizados com mulheres que praticam desporto, supostamente com mais força, flexibilidade muscular e melhor condição física, revelaram que os partos duram menos do que os partos de mulheres sedentárias. A razão tem a ver com a melhor condição física da mãe. Neste caso, a mãe está mais capaz de colaborar ativamente no parto, contribuindo para a melhoria dos resultados.

Preparar a musculatura pélvica para este grande momento vai ajudar-nos a reduzir lesões, como ruturas e outras complicações do pavimento pélvico que possam vir a provocar disfunções sexuais, prolapsos ou problemas de incontinência.

Fisioterapia especializada em maternidade

A melhor forma de evitar este tipo de problemas é solicitar a ajuda de um fisioterapeuta que nos ajudará a fortalecer, flexibilizar e controlar as estruturas músculo-esqueléticas envolvidas no momento do parto. Este tipo de preparação deve ser iniciado a partir do segundo trimestre de gravidez.

O ideal é a combinação de exercícios aeróbicos com exercícios de fortalecimento, pensados para os músculos da pélvis, da região lomboabdominal e dos membros inferiores. Mas atenção! Para nossa segurança, o treino deve ser orientado por profissionais especializados em fisioterapia obstétrica. Deste modo:

  • Evitará exercícios que ponham em risco a gravidez, como os exercícios que aumentam excessivamente a pressão intra-abdominal ou os que ultrapassam os limites da mobilidade funcional da região lombar.
  • Será mais consciente da atividade de cada músculo. Não é suficiente fortalecer a musculatura pélvica, também é preciso aprender a controlar a ação dos diferentes músculos e saber como funcionam. Se no parto for administrada a epidural, a mãe deve ser capaz de controlar o corpo mesmo sem as sensações habituais que a guiam (as sensações estarão inibidas pela anestesia). Por outro lado, as mães que vão dar à luz sem epidural devem ser capazes de acompanhar e conhecer os impulsos que controlam o corpo no momento do parto.

A partir da 33º-34º semanas da gestação é recomendável fazer alongamentos e flexibilizar a musculatura do pavimento pélvico para não sofrer lesões durante o nascimento do bebé. No momento do parto, os músculos do pavimento pélvico devem ter uma boa elasticidade muscular, ser fortes e, além disso, flexíveis. Com esta preparação física pretende-se obter os músculos de uma ginasta, fortes e flexíveis.

De qualquer modo, se durante a gravidez notar que tem perdido algumas gotas de urina, é muito provável que o seu pavimento pélvico esteja debilitado e requeira cuidado médico. Neste caso, consulte um especialista para avaliar a situação e procure praticar desporto para chegar em melhores condições físicas ao dia do parto. Entretanto, não se esqueça que pode utilizar protetores, como a Gama Rosa da Tena Lady, especialmente concebidos para as perdas de urina e que a vão fazer sentir segura e fresca ao logo de todo o dia com a máxima discrição. Quer experimentar? Obtenha amostras grátis aqui.

Pode também interessar-lhe...

Partilhe com as suas amigas:
Foto: iStock.com / SanyaSM

Deixe-nos o seu comentário