Registe-se já ou introduza
o seu email e palavra-passe:

TENA Centrada em si
Home Pavimento pélvico Pavimento pélvico e reeducação Complementar a cirurgia com fisioterapia
TENA Silhouette

Complementar a cirurgia com fisioterapia

Featured

0 2340

Se tem problemas de pavimento pélvico e o seu médico recomendou-lhe fazer uma cirurgia, não se esqueça disto. Complementar a cirurgia com um programa de fisioterapia, antes e depois, ajuda a prolongar os resultados e a evitar sintomas pós-cirúrgicos.


Partilhe com as suas amigas:

Se vai fazer uma cirurgia para tratar problemas de pavimento pélvico, por exemplo, para evitar a incontinência urinária ou tratar um prolapso, deve saber que este tipo de cirurgia é um dos tratamentos cirúrgicos mais frequentes em ginecologia.

No entanto, este tipo de cirurgias pode provocar problemas pós-cirúrgicos e questiona-se a sua eficácia a longo prazo. Por isso, nos últimos anos, os especialistas têm estado a estudar os benefícios de juntar à cirurgia um programa de fisioterapia pré e pós-cirúrgico. Este programa consiste em fazer uma ou duas sessões antes da operação e, depois, pelo menos um mínimo de 12 semanas de sessões.

Como pode a fisioterapia ajudar?

Quando o especialista recomenda a cirurgia, é geralmente porque não foi possível resolver o problema com outros tratamentos. O objetivo da cirurgia é melhorar a funcionalidade das estruturas musculares do pavimento pélvico. Por exemplo, o fecho da uretra para que não haja perdas de urina ou a estabilização do órgão ou órgãos que desceram através da vagina.

De momento, os estudos realizados mostram que as pacientes que fazem este programa de fisioterapia conseguem reduzir os sintomas pós-cirúrgicos e que a eficácia dos resultados da cirurgia se mantenha a longo prazo.

O programa não se preocupa apenas em fortalecer os músculos do pavimento pélvico, também ensina a protegê-los (por exemplo, ensina a tossir, a carregar pesos, a ter cuidado com os gestos frequentes que fazemos ao longo do dia e cujo perigo de prejudicar o pavimento pélvico é grande). Além disso, o programa de fisioterapia procura alargar os efeitos da cirurgia, evitando desse modo que apareçam de novo os problemas.

Se o seu médico especialista recomendou-lhe a operação, pergunte-lhe sobre a conveniência de acrescentar este programa ao seu tratamento. E enquanto o problema não se resolve, recomendamos-lhe o uso de absorventes específicos para o pH e para a densidade da urina, como a gama TENA. Estes produtos vão fazê-la sentir-se segura e protegida. Saiba mais através deste link.

Pode também interessar-lhe...

Partilhe com as suas amigas:

Deixe-nos o seu comentário