TENA

Centrada em si > Pavimento pélvico > Pavimento pélvico e saúde > Como é que a endometriose afeta o pavimento pélvico?
Home Pavimento pélvico Pavimento pélvico e saúde Como é que a endometriose afeta o pavimento pélvico?

Como é que a endometriose afeta o pavimento pélvico?

Pavimento pélvico e saúde


endometriose
0 16736

A endometriose é uma doença cada vez mais conhecida e afeta diretamente o pavimento pélvico. Mas porque é conhecida pela doença do silêncio?




A palavra endometriose tem raízes gregas e significa “crescimento da parte interior do útero, no seu exterior”: endo (dentro), metri (matriz) e ose (doença). Estamos a falar de uma doença ginecológica cada vez mais conhecida.

Estamos perante uma doença complexa, uma vez que é difícil identificar a sua origem e as causas que a provocam. É preciso dar-lhe muita atenção, pois em alguns casos pode degenerar em comportamento maligno. É uma doença crónica e dependente dos estrogénios Os sintomas principais são a dor e a infertilidade.

Os dados indicam que esta doença afeta 5% a 10% das mulheres em idade reprodutiva, 20% a 40% das mulheres com infertilidade e 5% a 20% das mulheres com dor pélvica crónica.

Esteja atenta, se houver dor

A forma mais frequente de dor na endometriose é a dismenorreia (dor com a menstruação) ou a dor pélvica crónica, provocada pelo que é denominado por implantes desse endométrio na cavidade pélvica, que podem provocar inflamações em pontos do peritoneu e órgãos próximos à pélvis.

Referimo-nos à endometriose como uma doença silenciosa porque dependendo da localização os implantes ou focos endométrios podem ir danificando progressivamente os órgãos à volta. Não estamos só a falar do aparelho genital interno, mas também do intestino, do trato urinário e das terminações nervosas, ligamentos e fáscias que cobrem a musculatura do pavimento pélvico. Este dano silencioso manifesta-se em forma de “aderências”, que são bandas de colagénio que podem “colar” estruturas ou parte delas.

Pavimento pélvico

Não é de estranhar que o pavimento pélvico, o “suporte” que aguenta todos os nossos órgão pélvicos (bexiga e uretra, útero e vagina, e reto), seja um dos principais afetados pela endometriose.

Esta doença pode provocar principalmente dois sintomas:

  • A formação de cicatrizes profundas à volta das fáscias da musculatura do pavimento pélvico, causadas pela endometriose, pode ser motivo de dor.
  • O pavimento pélvico tenta proteger-se desta dor com o que é conhecido como uma contractura muscular antiálgica, o que se associa ao aparecimento de dor crónica. Portanto, as mulheres que sofrem deste problema podem experimentar uma hipertonia (excesso de tonificação) muscular do pavimento pélvico e do diafragma pélvico profundo.

Como se pode intervir no pavimento pélvico para melhorar a dor causada por esta doença?

Uma forma eficaz de tratar a dor associada à endometriose é o alongamento miofascial. As manobras que são feitas pelos fisioterapeutas especializados em pavimento pélvico procuram libertar tecidos retraídos, diminuir a tensão entre as superfícies afetadas pelos implantes endométrios e “mobilizar” esses tecidos afetados de forma a melhorar a dor.

As manobras são internas, através da vagina, e podem ser complementadas com manobras de forma superficial (abdómen, púbis, costas…). Para isso, não se usa apenas a massagem digital, mas também a aparatologia tipo punção, aplicação de calor

É importante esclarecer que a fisioterapia não cura a endometriose, mas pode aliviar a dor e melhorar a qualidade de vida, atrasando a criação desse novo tecido.

Por último, mas não menos importante: os períodos dolorosos não devem ser encarados como normais. Perante qualquer sintoma de dor, consulte o médico para fazer um diagnóstico, receber o tratamento mais adequado e despistar possíveis complicações.

Pode também interessar-lhe...

Partilhe com as suas amigas:
Centrada em si