TENA

Centrada em si > Sexo > Conselhos para reativar a vida íntima em casal
Home Sexo Conselhos para reativar a vida íntima em casal

Conselhos para reativar a vida íntima em casal

Sexo


Conselhos para reativar vida íntima em casal
0 15590

Embarquem juntos nesta aventura e conheçam os fatores fundamentais para ter uma vida sexual ativa e saudável depois da menopausa.




Sabemos que o nosso corpo passa por muitas alterações depois da menopausa. Para muitas mulheres, a diminuição de estrogénios provoca secura vaginal, incómodos diversos e até dor durante as relações sexuais. Para outras, surge uma estranha e desalentadora diminuição do desejo sexual. Com um pouco de vontade e decisão das duas partes poderão não só reativar a vossa vida sexual, como também elevá-la a um outro nível.

A comunicação e a implicação do casal, primeira medida para recuperar o apetite sexual

A própria Universidade de Harvard dá o primeiro conselho importante para melhorar o sexo depois da menopausa: “Seja honesta, não finja se a sua libido diminuiu. Fale com o seu parceiro. E se o coito é doloroso, os dois podem experimentar novas posições e técnicas que possam ser mais cómodas”.

A comunicação entre ambos é fundamental e, por isso, é tão importante contar com a ajuda de um companheiro compreensivo. Ter uma relação de confiança faz com que para uma mulher seja muito mais fácil gerir a menopausa e os seus sintomas. Por outro lado, um companheiro insatisfeito pode exacerbar os sintomas sexuais e psicológicos da menopausa. Estabelecer um nível de comunicação sincero e aberto é o primeiro passo para revitalizar a vida sexual. Se não sabem por onde começar, poderão recorrer à terapia de casal sob a orientação de um especialista.

Mantenham-se saudáveis (os dois)

Estar saudável é algo fantástico para o sexo. Por um lado, é sempre mais desejável alguém com boa aparência que outra pessoa mais desleixada. E por outra parte, o organismo oferece melhores respostas sexuais. As chaves: uma dieta saudável e equilibrada, fazer exercício regularmente (sexo incluído), evitar o tabaco e o álcool, descansar bem e exercitar a mente.

Procurem o sexo, não esperem que ele vos encontre a vocês

É uma frase feita, mas é muito verdade que querer é poder. Durante a menopausa, por vezes, é difícil estar disponível para o sexo. Os fatores físicos jogam um importante papel, mas também os emocionais. As investigações têm demonstrado que o desejo sexual das mulheres varia ao longo da vida de uma relação e não só na menopausa. Que o desleixo e a resignação não tomem conta de vocês. Estarem conscientes disto e procurar uma mudança mental pode ajudar a recuperar a chispa sexual. Dediquem tempo à intimidade, trabalhem juntos as situações, provoquem novas sensações. Desfrutem de um jantar romântico (os mariscos são afrodisíacos), acariciem-se mais, falem com sinceridade dos vossos desejos, experimentem  o que nunca ousaram fazer…

Em busca de um segundo romance

Com a sinceridade em cima da mesa, trata-se de encontrar soluções entre os dois e fazer certos ajustes. Em qualquer idade, uma nova relação pode trazer uma nova onda de libido, mas depois de um tempo esse brilho começa a desaparecer e é possível que tenha de se esforçar mais.  O mesmo acontece depois da menopausa. De alguma forma, é voltar a recuperar o tempo perdido e costuma funcionar fazer coisas que costumava usufruir no começo da relação. Experimentam recriar essa atmosfera que funcionou há anos.  Vivam um segundo romance.

Dediquem tempo à cama

Com o passar dos anos, os homens e as mulheres demoram mais a ficar excitados e têm mais dificuldade para o conseguir. Os dois. Por isso, é tão importante dedicar mais tempo aos preliminares. Isto não só pela menopausa. Por exemplo, com a passagem dos anos, um problema como a disfunção erétil é frequente nos homens. Neste caso, será importante explorar técnicas sexuais sem penetração. E isto para tudo: para um problema, encontra-se uma solução.

Sair da rotina

As mudanças da rotina sexual podem ser muito positivas. Procurem encontrar novas formas de mostrar afeto e intimidade que os façam sentir desejáveis. Experimentem coisas novas. Por exemplo, deixem de lado a penetração, se os dois não se sentirem cómodos por qualquer motivo e subsituam por carícias ou até estimulem a vida sexual com artigos como brinquedos, lubrificantes, filmes ou literatura erótica.

Pensem em sexo e continuarão a ter sexo

O cérebro é um órgão sexual importante e pensar em sexo aumenta o desejo. Portanto, é importante que as duas partes de um casal dediquem tempo a pensar em sexo, na busca de aliciantes e aspetos interessantes para melhorarem a vossas vidas sexuais. E nunca desistir. Assim, a estimulação sexual promove por sua vez a elasticidade vaginal e uma função sexual melhorada depois da menopausa. E uma vez mais: não esqueçam que há alternativas à penetração.

Pode também interessar-lhe...

Partilhe com as suas amigas:
Centrada em si