TENA

Home #EuFicoEmCasa com TENA 8 dicas para manter a chama durante o confinamento

8 dicas para manter a chama durante o confinamento

#EuFicoEmCasa com TENA

0 28560

Tem pensado que o confinamento pode servir para rever assuntos pendentes, por exemplo, para melhorar a vida íntima? Tome nota.


Conhecemos a maçada do confinamento e dos seus inconvenientes. Mas porque havemos de olhar para o copo meio cheio e não para as oportunidades que podemos aproveitar durante o nosso isolamento em casa? Por exemplo, para  melhorar e revitalizar a nossa vida sexual. Porque passar tempo de qualidade juntos é uma das melhores coisas que o confinamento nos trouxe e, isso, inclui os gestos de amor. Pode ser uma oportunidade única.

“O stress do momento pode fazer que tudo seja mais difícil, mas estar fisicamente juntos torna mais fácil a intimidade. Há muitas coisas que nesta situação não podemos controlar, pelo que talvez seja melhor focar-nos naquilo que podemos controlar”,  explica o psicólogo Ari Tuckman na revista Psychology Today. Deste modo, porque não lançarmos mãos à obra?

Não esqueça que segundo os estudos científicos o desejo sexual costuma manter-se intacto entre os 50 e os 60 anos, na idade pós-menopausa, e apenas se começa a experimentar um declive a partir dos 60. A chave está em manter a chama viva e atrasar (ou até eliminar) esse momento de queda.

Deixamos-lhe aqui oito dicas que a vão ajudar a aproveitar este confinamento para melhorar a sua vida sexual. Porque não?

1. Explore a idade madura, viva as suas fantasias

É verdade que as alterações físicas costumam originar inseguridades que se refletem numa diminuição da intensidade própria do sexo juvenil. Mas veja o assunto de outro modo: a maturidade pode derivar numa maior confiança, melhores habilidades de comunicação ou no desaparecimento de velhas inibições. Dê rédea solta às suas fantasias, faça o que sempre quis fazer, atreva-se! Porque há uma realidade que não deve deixar escapar: muitas pessoas não se dão conta de todo o potencial oferecido pelo sexo na idade madura.

2. Aproveite o tempo e a tranquilidade para explorar

É indubitável que, à medida que envelhecemos, as respostas sexuais diminuem. Mas o confinamento oferece-nos uma nova oportunidade: podemos melhorar as nossas “possibilidades de êxito” ao encontrar um espaço para fazer amor de forma tranquila, cómoda e sem interrupções. Tenha em conta que as mudanças que vamos experimentando no nosso corpo também costumam exigir mais tempo para a excitação e para alcançarmos o orgasmo. Se pensar bem, verá que passar mais tempo a fazer amor não é algo mau. Trabalhar estas necessidades físicas no ato sexual pode abrir portas para um novo tipo de experiência.

3. Liberte-se do pudor e partilhe o que mais a excita

Tem tempo e tem tecnologia. Procure na internet coisas que lhe apeteça fazer e partilhe com o seu parceiro. Se falar diretamente for muito difícil, pode mostrar imagens ou salientar as passagens que mais gosta. Deixe os pudores de lado. Fale daquela cena de um filme, daquele disfarce que sempre quis vestir, do papel com o qual fantasiou mais de uma vez. É especialmente útil para as pessoas com pouco desejo.

4. Utilize lubrificador

Muitas vezes, a secura vaginal pode facilmente ser corrigida com líquidos e geles lubrificantes. Use-os livremente para evitar relações sexuais incómodas, um problema que pode converter-se numa diminuição da libido e aumentar as tensões nas relações. Tenha muito presente uma coisa: na pós-menopausa, a atividade sexual e a estimulação vaginal praticada com regularidade também ajuda a manter os tecidos vaginais saudáveis. Investigadores da Indiana University fizeram uma sondagem na qual 80% das mulheres classificaram como “mais prazeroso” o sexo com lubrificante. E à medida que a idade das mulheres questionadas aumentava, também aumentava o grau de satisfação na prática sexual com lubrificante.

5. Desfrute dos preliminares

Já sabe: tem tempo e a casa está tranquila. Porque não desfruta de uns longos e pensados preliminares? Não têm de ser apenas excitantes, mas vai permitir-lhe desenvolver também uns sempre valiosos vínculos emocionais e afetivos.

6. Explore o sentido do tato

As técnicas de concentração sensorial usadas pelos terapeutas sexuais podem ajudar-nos a restabelecer a intimidade física sem sentir pressões. Muitos livros de autoajuda e vídeos educativos oferecem variações sobre estes exercícios. Não tenha medo de dizer ao seu parceiro como quer que a toque, quanta pressão, suave ou firme, etc.

7. Exercícios de Kegel para melhorar as suas faculdades

Acredite: é um assunto absolutamente científico. Tanto os homens como as mulheres podem melhorar as suas aptidões sexuais exercitando os músculos do pavimento pélvico. Para fazer estes exercícios, aperte o músculo que usaria se tentasse deter a urina a meio da ação. Mantenha a contração durante dois ou três segundo e depois solte. Repita 10 vezes e procure fazer cinco séries por dia. Também pode usar pesos vaginais para agregar resistência muscular. A sua vitalidade sexual vai-lhe agradecer.

8. Use um vibrador

É uma recomendação, imagine, da Escola de Harvard: “um vibrador pode ajudar uma mulher a conhecer a sua própria resposta sexual e permite-lhe mostrar ao seu parceiro o que ela gosta”. Se nunca se atreveu, talvez seja o momento oportuno para quebrar o tabu. Se até Harvard diz…

Pode também interessar-lhe...

Partilhe com as suas amigas:

Deixe-nos o seu comentário