TENA

Home Menopausa Menopausa não significa envelhecimento

Menopausa não significa envelhecimento

Menopausa


Menopausa não é envelhecer
0 1277

Uma perceção equivocada deste período vital pode provocar um impacto psicológico negativo. O segredo está em adotar uma perspetiva saudável a todos os níveis.




Para muitas mulheres, a menopausa continua a ser um tema tabu, entre outras razões pela associação que tradicionalmente se lhe tem dado à idade. Obviamente, ninguém gosta de envelhecer, mas isso não significa que tenhamos de juntar duas coisas que na verdade são diferentes. O que acontece é que com uma boa atitude e um estilo de vida saudável as mulheres podem viver uma vida plena durante esta etapa de mudanças.

Comecemos pelo princípio: a perimenopausa (também conhecida como “segunda puberdade” ou “pré-menopausa”) ocorre nos dois a dez anos prévios ao fim do período e é diferente da menopausa, que é a fase da vida que começa um ano depois do último período. Os sintomas, a acontecerem, sucedem principalmente durante a perimenopausa e são temporais.

A idade normal para o último período vai dos 45 aos 55 anos, pelo que a idade habitual para a perimenopausa começa dez anos antes, pelos 35. Por outras palavras, se nasceu antes de 1985, ainda é relativamente jovem e pode estar na perimenopausa. Por isso a perimenopausa não tem nada a ver com envelhecimento, mas antes com um “reajuste” importante (e inevitável) do seu sistema hormonal.

A menopausa como consequência genética

Como explica a Dra. Lara Briden no seu livro Hormone Repair Manual, a menopausa existe desde que somos humanos e não é apenas um acidente por vivermos muitos anos. “Segundos alguns historiadores, a menopausa pode inclusive ter sido a força impulsionadora por detrás da evolução de uma vida humana mais longa”, afirma a especialista.

Estamos geneticamente programadas para chegar à menopausa aproximadamente pela mesma idade em que a nossa mãe, a nossa tia ou prima também chegaram à menopausa. É simplesmente algo que acontece e que, tarde ou cedo, chega. Se surge quando tem 43 anos, está fantástica e saudável tal como o pode estar com 50 ou 60. Não tem nada a ver com a idade nem significa que esteja a envelhecer mais rapidamente que os seus amigos.

Se geneticamente está programada para chegar à menopausa no extremo superior do período normal (por volta dos 50 anos), então a sua perimenopausa começa ao mesmo tempo do início do envelhecimento biológico, mas não é causada pelo envelhecimento. E no outro extremo, se entra na menopausa antes dos 40 anos, trata-se de uma condição médica de menopausa prematura ou insuficiência ovárica primária, e tampouco se trata genuinamente de envelhecimento.

Uma questão de hormonas

É provável que uma mulher de meia-idade com ciclos regulares esteja na perimenopausa se notar alguns destes sintomas: nova aparição de fluxo intenso e/ou mais prolongado, ciclos menstruais mais curtos (inferiores a 26 dias), seios doridos, insónias, cólicas, afrontamentos, enxaquecas, mudanças de humor ou aumento de peso.

Já conhece os sintomas: vai entrar na menopausa. Depois, vem a fase da aceitação, e com a menopausa está nessa nova etapa da sua vida. É uma questão hormonal, não de idade. Pois está na menopausa, e daí? Este é a bifurcação de caminhos que tem diante de si e agora trata-se de escolher: rendição ou combate? A resposta óbvia é a segunda. Porque não aproveitar esta fase da sua vida para usufruir de “uma segunda juventude”?

Uma nova e longa vida

A perspetiva correta para enfrentar a menopausa é vê-la como o desembarque numa terra cheia de oportunidades. Foi um longo caminho, às vezes incómodo, talvez com um ou outro sofrimento. Mas abre-se diante dos seus olhos um mundo novo. Veja-o assim: o que lhe permite combater os efeitos negativos da menopausa coincide completamente com os hábitos saudáveis que também a ajudarão no resto da sua vida.

Sintomas como insónias, aumento de peso ou depressão, tão típicos da menopausa, só se combatem com um estilo de vida saudável que inclua padrões como a adoção de uma dieta equilibrada, a prática de exercício, boa higiene do sono, fomento de relações pessoais ou o investimento de tempo no lazer saudável.

Não é apenas um erro associar a menopausa à idade. Aproveite esta fase da sua vida para introduzir mudanças que antes de mais vão ajudá-la a combater os efeitos da menopausa e a médio e longo prazo também lhe vão servir para viver mais e melhor. Temos assim a menopausa associada à idade, mas com um ponto de vista positivo.

Pode também interessar-lhe...

Partilhe com as suas amigas:
Centrada em si