Registe-se já ou introduza
o seu email e palavra-passe:

Centrada em si
TENA
Home Pavimento pélvico Pavimento pélvico e saúde Sabe o que é um pessário vaginal e para que serve?
banner_MUESTRA

Sabe o que é um pessário vaginal e para que serve?

Featured

pessario vaginal
0 188

O que é um pessário vaginal? Quais os tipos disponíveis? Quando é aconselhável usá-lo? Se tem ou teve algum prolapso e quer optar por um tratamento não cirúrgico, deve conhecer este dispositivo.


Partilhe com as suas amigas:

O que é um pessário vaginal?

É um dispositivo médico de silicone para colocação intravaginal e suporte do prolapso dos órgãos pélvicos. É usado sobretudo quando a mulher opta por um tratamento conservador, isto é, não cirúrgico. A vagina, graças à sua elasticidade, permite a colocação do pessário, fazendo elevar a bexiga, útero e reto descaídos para o orifício vaginal. Desta forma desaparece o caroço genital e melhoram os sintomas causados pela descida dos órgãos.

O uso deste dispositivo é conhecido desde a antiguidade. Já Hipócrates (Século V a.C.) descreve a utilização de pessários vaginais com finalidades medicinais. Mas podemos dizer que foi no século XIX que foram realmente inventados. Na obra Tratado das doenças das mulheres, publicada em 1821, Capuron descreve os pessários utilizados na redução dos prolapsos uterinos.

Quando é aconselhável utilizar um pessário?

  1. Quando o prolapso genital começa a ser sintomático, causando incómodos (sensação de peso, dor lombar, dor coital…). Mas outras mulheres sofrem sintomas urinários associados como:
    - Infeções urinárias que se repetem por causa da incapacidade para esvaziar a bexiga.
    - Incontinência urinária de esforço e/ou de urgência.
    - Síndrome de urgência/frequência, necessidade de urinar muitas vezes de forma imperiosa por causa da instabilidade da bexiga descida; e inclusive por sangramento genital associado à inflamação de uma vagina exposta a um roçamento contínuo.
  2. Mulheres que não são candidatas à cirurgia vaginal por quererem preservar a fertilidade, que dizer, ainda não terem completado o seu desejo genésico, ou mulheres de idade mais avançada com doenças associadas e, por isso, com risco cirúrgico. Ou simplesmente mulheres que não queiram passar pela cirurgia e procurem uma solução que lhes possa melhorar a qualidade de vida.
  3. Muitas mulheres veem corregidos os incómodos com o uso do pessário, mas outras não o toleram ou não gostam de o usar por condicionantes psicológicos; neste casos são muitas vezes usados por prazos curtos de 2 a 3 meses, o tempo suficiente para melhorar a qualidade e saúde da mucosa vaginal antes de ser programada a cirurgia.

Tipos de pessários vaginais

O tradicional e mais conhecido é o anel, com diferentes diâmetros, de forma a não provocar dor e adaptar-se bem para que não desça com a atividade e os possíveis esforços diários.

Mas existem outros em forma de donut, mais grosso, anel com membrana central, cubo, anel com reforço para colocar na parte anterior, mesmo debaixo da uretra, nos casos associados à incontinência urinária de esforço, etc.

O ginecologista ou ginecologista especializado em Pavimento Pélvico é quem decide qual a opção mais conveniente e, depois, a paciente terá a última palavra com experiência do uso deste dispositivo na sua vida diária.

Colocação e higiene

Existem duas opções:

  • Se a mulher é jovem e com atividade sexual, são instruídas para facilmente poderem colocar e tirar o pessário, embora estes já estejam fabricados para não serem retirados durante semanas, se assim se quiser.
  • No caso das mulheres mais velhas, com mobilidade reduzida, podem consultar um especialista para que o pessário seja mudado a cada 2-3 meses.

Se as utilizadoras de pessário vaginal perceberem leucorreia com mau cheiro ou incómodos devem prevenir uma possível infeção com o tratamento local com óvulos antissépticos e/ou antibióticos, dependendo do caso.

Pode também interessar-lhe...

Partilhe com as suas amigas:

Deixe-nos um comentário