Registe-se já ou introduza
o seu email e palavra-passe:

Centrada em si
TENA
Home Menopausa Como é que a menopausa afeta a nossa saúde oral?
banner_MUESTRA

Como é que a menopausa afeta a nossa saúde oral?

Menopausa

1 3999

Entre os 45 e 55 anos de idade é possível que já tenha entrado na menopausa, uma etapa durante a qual ocorrem diversas mudanças nos nossos corpos, incluindo na boca.


Partilhe com as suas amigas:

Pode começar a notar alterações no tecido oral, mudanças na composição bioquímica da saliva ou distúrbios na flora oral. Por exemplo, uma menor secreção salivar que ao início pode causar algum incómodo. Para que não seja apanhada desprevenida, indicamos-lhe alguns sintomas que poderão começar a manifestar-se quando chegar ao climatério:

  • Gengivite atrófica: as gengivas ficam mais pálidas do que o normal.
  • Gengivo-estomatite da menopausa: as gengivas ficam brilhantes, com uma cor entre o pálido e o avermelhado, secas e podem sangrar facilmente.
  • Desconforto oral: tem uma sensação de ardor (é o que se designa de “síndrome de boca ardente”) e travo amargo.
  • Redução da mucosa oral, que fica mais frágil e debilitada.
  • Boca seca, o que pode provocar mau hálito, uma maior probabilidade de ter cáries ou, até, causar uma infeção.
  • Cáries radiculares, que aparecem devido à secura da boca ou como consequência da gengivite descamativa que deixa a raiz do dente exposta a agentes externos que geram bactérias.
  • Deterioração dental: provoca a perda do brilho e do branco original dos dentes, estes ficam mais opacos e amarelados e podem estar desgastados ou apinhados.

Como já sabe, a menopausa implica a diminuição dos níveis de duas hormonas: estrogénio, que reduz o efeito anti-inflamatório que esta hormona tem na gengiva, e a progesterona, que reduz a densidade óssea da mandíbula. Tal coloca em risco o suporte dos nossos dentes e é por isso que, com o passar do tempo, algumas pessoas acabam por ter de utilizar uma prótese dentária. A menopausa também é uma das causas da osteoporose, uma doença que afeta um terço das mulheres acima dos 65 anos e que constitui um fator de risco para as doenças gengivais. Se estiver a fazer terapia de substituição hormonal para combater esta doença, ficará satisfeita em saber que esta terapia oferece uma determinada proteção contra a perda de dentes e ajuda a reduzir o sangramento gengival, devido à combinação de estrogénio e progesterona.

Se sofre de alguma destas doenças ou tem outras queixas, consulte o dentista sempre que ocorrer alguma mudança na sua boca. As visitas periódicas ao periodontista são uma das melhores medidas que pode adotar para si e para a sua saúde oral. Além disso, agora mais do que nunca é fundamental manter uns níveis baixos de placa bacteriana, pelo que o primeiro conselho é que preste uma atenção especial à sua higiene diária. Deixamos-lhe algumas recomendações que podem ajudá-la a cuidar da sua saúde em geral e da sua saúde oral em particular:

  • Escolha uma pasta de dentes que tenha um índice de abrasividade baixo ou médio.
  • Compre uma escova com filamentos de nylon e poliamida, que não danificam o esmalte. As pontas também devem estar arredondadas e polidas.
  • Beba muita água e ingira alimentos com vitaminas A, E e C, que fortalecem a pele e as mucosas. Pode obter estas vitaminas através de alimentos ou suplementos.

Pode também interessar-lhe...

Partilhe com as suas amigas:
1 comentário a este artigo
  1. Tudo isto é muito verdade,eu confirmo embora já tenha feito a menopausa há bastantes anos , tenho um grande problema com dores ,vou arrancando dentes,mas não resolve,tenho tal sintoma da lingua ardente…cuidado com os dentistas que não consenguem fazer nada…agora tenho uma drª que é professora na faculdade,estou com muita confiança…tenho passado muito mal e já gastei «N» euros que nem fazem ideia
    Candido,.
    ..
    .

Deixe-nos um comentário